Como cobrar em tempo de pandemia

São poucas as certezas que todos os setores do mundo vêm tendo diante da Pandemia causada pelo Novo Corona vírus e isso tem causado temor global. Um desses medos é saber como as empresas devem se posicionar com os clientes inadimplentes e efetuar uma cobrança diante desse cenário tão sensível.

O CEO da Pague Bem Brasil Álvaro Leal dá logo a dica:

Para as empresas credoras é preciso ter empatia pelo momento que o seu cliente está passando e tentar, dentro do que for possível, flexibilizar algumas regras que eram utilizadas como processo antes da pandemia, como por exemplo, diminuir ou abonar percentual de juros e multa. Por outro lado, é esperado que o devedor se posicione quanto à dívida e entenda claramente que a empresa credora precisa também receber o que é devido, consciente de que tudo que está sendo negociado é em caráter de exceção pelo cenário inédito vivido. O mais importante é que a comunicação seja clara e o contato com o devedor eficiente e nesses pontos a tecnologia tem ajudado muito, somos a prova que é possível chegar a ótimas negociações , de forma rápida e com um alcance muito grande dos devedores, sejam eles pessoa física ou jurídica, para recebimento dos valores

O fato é que até mesmo os considerados “bons pagadores” estão sendo afetados pela pandemia e é preciso treinamento e preparação da parte das empresas credoras para lidarem com esse momento, além de terem que buscar ferramentas que ajudem para que o momento da cobrança não vire um tormento, é importante destacar que quanto mais  o processo da cobrança é otimizado, maiores são o resultados.

O lado ruim do setor é que ainda temos visto muitas empresas de cobrança tradicional, que através de ligações, ainda se posicionam como se nada estivesse acontecendo, utilizando de métodos e narrativas inadequadas para tratativas com o devedor.

Transformação Digital no setor de cobrança

internet communication design, vector illustration eps10 graphic

Mesmo com o cenário atual, estamos vivenciando algo positivo: a transformação digital. As empresas que ainda não eram adeptas ao trabalho remoto, por exemplo, estão sendo “obrigadas” a vivenciarem isso e, de forma geral e meio aos desafios da adaptação de rotina, houve um efeito positivo. Algumas grandes empresas, como a XP, recentemente anunciaram que estudam tornar o trabalho remoto permanente. E o Banco Itaú afirmou que a acredita que a pandemia “encurtará o processo de digitalização em anos”.

A cobrança digital chegou para ficar. Em nosso post anterior Seja Mais Efetivo Com a Cobrança Digital , enfatizamos a importância de adaptar os processos internos e conexão com os clientes utilizando a tecnologia e a inovação. É quando percebemos que mesmo antes da pandemia, métodos tradicionais perderam credibilidade e em um mundo em constante transformação digital, na área da cobrança não poderia ser diferente.

Mediante ao isolamento social recomendado, os meios digitais são mais práticos e ágeis para se comunicar, negociar e principalmente pagar. O auto atendimento tem se mostrado eficaz na resolução de problemas de cobrança, seja no momento que é preciso tirar uma dúvida sobre algum título ou negociar um acordo para pagamento. Contudo, ainda é preciso preparação da parte da empresa credora para vivenciar esse momento com o devedor, tão logo os métodos da cobrança digital sejam aplicados e em um tempo que as renegociações de dívidas estão iminentes, é possível colher os frutos de forma rápida e organizada, com toda a segurança para a empresa credora e confiança para o devedor que a tecnologia consegue oferecer.

Quer aplicar os métodos da cobrança digital em sua empresa saiba mais Como funciona a Pague Bem Brasil?

Vamos à luta? A gente te dá uma forcinha!

paguebembrasilajuda

Claro que o mundo está mudando e essa mudança afeta a todos também de maneira emocional e física, porém é preciso manter a esperança que há sim, soluções práticas para combater a inadimplência e cobrar de forma eficiente em meio a uma pandemia.

As empresas credoras podem e devem aproveitar os recursos tecnológicos disponíveis. Legalmente não existe problema algum em efetuar uma cobrança nesse período, apenas é preciso cautela, respeito as regras de cobrança e como disse Álvaro anteriormente: empatia.

Do lado de cá, estamos torcendo para que tudo melhore e para contribuir para o processo de digitalização da cobrança na sua empresa, estamos disponibilizando grátis um pacote de cobranças digitais para que você comece hoje, a sua campanha de cobrança através de nossa plataforma.

Cadastre-se e comece a cobrar os seus clientes sem medo e da sua casa.

Conte conosco nesse tempo e depois!

Abraços virtuais de toda nossa equipe!

 

Virei uma empresa inadimplente. Como resolver?

Cuidar de uma empresa é um grande desafio e, nessa jornada, erros podem ser cometidos. Um deles é virar um inadimplente. Em geral, o problema ocorre por falta de planejamento, ausência de reservas financeiras e falhas na gestão do dia a dia (especialmente compras e vendas). Independente do motivo, quem quer sair da condição de devedor pode tomar atitudes para que esse processo seja bem-sucedido. Não tem milagre nem é “do dia para a noite”. Mas não é impossível e, com nossas dicas, pode ser de um jeito mais produtivo.

Antes de listarmos algumas orientações sobre como deixar de ser uma empresa inadimplente, um lembrete: tomar atitudes positivas e proativas diante da situação não é algo que o devedor faz para o credor, é, antes de mais nada, uma autoproteção. Assim como um consumidor, a empresa que não paga suas contas em dia também está sujeita a penalidades como multas, juros, protesto de títulos em cartório, inclusão em ferramentas de proteção ao crédito (pagas ou gratuitas, como é o caso da Pague Bem Protege) e processos judiciais.

Arrume a casa primeiro

Antes de correr para um empréstimo ou mesmo de negociar, o micro e pequeno empresário precisa conhecer suas próprias contas. Em pequenos negócios, a falta de organização muitas vezes aparenta ser “confortável”, mas é uma doença silenciosa, que afeta duramente a empresa não apenas causando os problemas mas também dificultando sua solução.

Dessa forma, é preciso analisar suas despesas, custos e faturamento, atuais e futuros, para saber qual a sua capacidade de pagamento e checar o quanto é possível “bloquear” para a quitação dos débitos vencidos. Para isso, é essencial saber o tamanho da sua dívida: mapeie credores, valores, taxas de juros e multas. Se essa conta mostrar que não há receita o suficiente para pagar, outras atitudes a serem tomadas são reduzir custos, eliminar desperdícios, fazer liquidações e vender bens ociosos.

Foto: Pixabay

Abra o jogo e negocie

Mesmo em uma posição desconfortável, o empresário não pode negar que a dívida está vencida e que entrou em uma situação de inadimplência. O credor sabe e vai tomar as atitudes que lhe cabem por direito. É possível que ele procure sua empresa, seja por meios tradicionais ou por plataformas como a Pague Bem Recupera, seja para cobrar o valor devido e as penalidades cabíveis ou para negociar. Não importa a abordagem, o que o devedor não pode fazer é se esconder: dê retorno, mesmo que não possa pagar naquele momento. Informe que está trabalhando para resolver o problema e dê uma previsão de pagamento.

Quando a dívida estiver além da sua capacidade de pagamento, chame o credor para negociar. A conversa pode ser para tentar reduzir juros e multas ou para parcelar a dívida. Se a negociação não render uma solução, outro cálculo a ser feito é a possibilidade de trocar dívidas “caras”, aquelas com juros mais altos, por dívidas “menos caras”, com taxas de juros menores e que podem solucionar uma tensão entre você e seu credor, especialmente se ele também for uma micro ou pequena empresa. No entanto, essa é uma decisão que deve ser tomada com muito cuidado, pois, uma vez mal feita, só vai aumentar o problema.

Na Pague Bem Brasil, valorizamos a educação financeira para pessoa jurídica e esperamos ter ajudado sua empresa com essas dicas. Criamos conteúdos como esse porque queremos tornar o ambiente de negócios brasileiro mais justo e transparente – veja nosso manifesto e conheça a Pague Bem Protege, nosso serviço on-line e gratuito para análise de crédito de PJ, com banco de dados alimentado pelas próprias pessoas prejudicadas, sem qualquer intermediação.